Pular para o conteúdo principal

O médico e o Banco

Ontem fui ao médico e depois fui ao banco. Exames de rotina e precisava transferir minha conta. O médico e o gerente foram muito atenciosos, diferente do que vemos por aí. Apesar da atenção, não passei mais que dez minutos na consulta e mais uns cinco minutinhos para o médico ir pegar o carimbo e o carbono que havia esquecido. No banco foi mais rápido do que imaginei, mesmo assim passei uma hora do meu dia lá. O médico quis saber o que eu queria. Respondi. Me encaminhou os exames que solicitei e leu os resultados que tinha levado. Olhou e me parabenizou. Disse que minhas taxas estavam ótimas. Me explicou que HDL era o colesterol bom e que LDL era o colesterol ruim. Completou dizendo: "Você deve cuidar bem da sua alimentação, não é?" Sorri e lhe respondi: "É ela quem cuida de mim".
Lá no banco, o gerente perguntou no que podia me ajudar. Respondi. Ele iniciou o processo de transferência no sistema enquanto ainda conversava comigo. Confirmou meus dados já cadastrados e atualizou os demais. Eram umas dez abas de cadastro. Fui questionada do lugar que nasci até minha ocupação atual. Acho que só faltou tipo sanguíneo. Esse nem o médico, nem o banco se interessaram.
Voltei pra casa satisfeita, com todos os afazeres cumpridos e com uma certeza em mente: o banco sabe mais sobre mim do que o sistema de saúde.

[Fato verídico. Perdi a data do ocorrido, mas foi em 2014.]

Comentários